Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quimeras e Utopias

Quimeras e Utopias

No Facebook — Gosto… e muito mais do que isso

Dezenas de publicações, fotos que parecem repetições umas das outras, vídeos de gatos e cães, frases «inspiradoras», humor brejeiro, humor espirituoso, textos ocos e textos que me deixam inquieta, pensativa, que me fazem rir à gargalhada ou chorar que nem uma condenada, que persistem no dia para além daqueles segundos ou minutos que os demorei a ler. Nestes últimos, após o ponto final, após as últimas letras que formam palavras frente aos meus olhos, limito-me a colocar um GOSTO. Um Gosto que se perderá entre outros, um Gosto que se emalhará entre Tristezas, Risos, Adoros e Raivas, que perderá sentido entre comentários vários, que ficará esquecido numa lista de muitos outros Gostos alheios. Um Gosto que, nas suas cinco letras, na sua simbologia de polegar erguido é bem mais do que gostar, é um:

 

— tu, que escreveste isto, queria ter-te aqui perto de mim para falarmos, queria trocar contigo umas ideias sobre os teus escritos, queria explicar-te até onde as tuas palavras me levaram, a que confins fui empurrada pelo teu texto, queria poder exprimir-me para além do que um comentário a um post permite, queria dizer-te que a tua inteligência interessa, os teus pensamentos expressos nos teus posts, transmitidos através de um perfil identificado por uma qualquer foto, esses pensamentos, esses pontos de vista são vitais, fazem-me vislumbrar mundos para além do meu pequeno mundo, exacerbam a minha curiosidade, exaltam o meu sentido crítico, espicaçam a monotonia, a repetição dos dias. E se te deixo apenas um polegar branco em fundo azul, como quem pouca atenção prestou, como quem leu de forma apressada e oblíqua, peço desculpa. A tecnologia, num paradoxo, aproxima-nos, afastando-nos.

 

Por isso, a todos aquelas pessoas que não conheço, que são apenas caras num perfil, vidas inteiras resumidas em pequenos textos, fotos e vídeos, mas pessoas que sigo, leio com atenção, apesar de quase anónima, ausente na minha presença, quero dizer que gosto do que escrevem… e muito mais do que isso.

1 comentário

Comentar post